Pesquisa em Educação Matemática e Educação Inclusiva

No dia 29 de junho de 2016, aconteceu mais uma defesa de mestrado no Grupo Ruaké. A dissertação “Educação matemática e educação especial: reflexões sobre os relatos de experiências docentes de professores de matemática”, desenvolvida por Karem Keyth de Oliveira Marinho, até então mestranda PPGECM/IEMCI/UFPA, foi orientada pelo Prof. Dr. Elielson Ribeiro de Sales, pesquisador do Grupo Ruaké. A pesquisa apresenta dados importantes acerca da prática docente, formação inicial e continuada de professores do município de Tabatinga no estado do Amazonas.

RESUMO

Um dos maiores desafios educacionais da atualidade é tornar a escola um espaço inclusivo capaz de atender seus educandos a partir do reconhecimento e respeito de suas singularidades. E para a concretização desse espaço temos o professor com um relevante papel visto a possibilidade de desenvolver um ensino inclusivo em sala de aula. No entanto, se tratando de Educação Matemática há a necessidade de investigar como se dá a atuação do professor de Matemática visto que as poucas discussões dessa temática podem influenciar suas práticas pedagógicas. Fato este vivenciado na trajetória acadêmica e profissional da autora deste estudo. Assim sendo, objetivamos nesta pesquisa refletir sobre os relatos de experiências vivenciadas e narradas pelos professores de Matemática, atuantes em Tabatinga – AM, sobre o processo de inclusão de alunos com deficiência em salas comuns de escolas regulares. E, consequentemente, responder a nossa questão de pesquisa enunciada como: Quais os reflexos das experiências de professores de Matemática no ensino de Matemática de alunos com deficiência? Para tanto nossos pressupostos teóricos e legais estão fundamentados em documentos nacionais e internacionais, em estudos voltados para a prática do docente em uma perspectiva inclusiva. Quanto ao delineamento metodológico do estudo, realizamos, por meio de uma abordagem qualitativa, entrevistas com os professores de Matemática atuantes na rede pública de ensino do município de Tabatinga-AM, egressos do curso de Licenciatura em Matemática do Centro de Estudos Superiores de Tabatinga da Universidade do Estado do Amazonas e as analisamos por meio de categorias construídas a partir das narrativas dos professores, e considerando os direcionamentos apontados no roteiro da entrevista. Diante dos resultados, percebemos que a falta de conhecimentos acerca da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva e apoio por parte da escola são os principais fatores que dificultam a realização de práticas pedagógicas. A formação inicial e continuada foi outro aspecto muito comentado pelos docentes que além de sugerirem mais discussões sobre a temática ainda se mostraram motivados e interessados a participar de formações que contemplem esses conhecimentos. Ainda assim, vimos que alguns professores realizam práticas inclusivas em suas aulas de Matemática, no entanto recomendamos que se oportunizem mais ações na formação inicial e continuada, e que o apoio escolar seja mais efetivo tanto para o professor quanto para o aluno.

Palavras-chave: Educação Matemática e Inclusão. Ensino de Matemática. Educação Especial. Formação de Professores.

Universidade Federal do Pará
Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas
Instituto de Educação Matemática e Científica
Pesquisa: Dissertação de Mestrado
Título: Educação matemática e educação especial: reflexões sobre os relatos de experiências docentes de professores de matemática
Autor: Karem Keyth de Oliveira Marinho
Orientador: Prof. Dr. Elielson Ribeiro de Sales
Ano: 2016

Anúncios