Pesquisa em Educação em Ciências e Educação de Surdos

No dia 27 de setembro 2017, aconteceu mais uma defesa de mestrado do Grupo Ruaké (Grupo de Pesquisa em Educação em Ciências, Matemáticas e Inclusão) do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI) da Universidade Federal do Pará (UFPA). A pesquisa “Ensino de ciências por meio de mídia pedagógica: o vivido e o concebido por estudantes surdos durante as aulas sobre as angiospermas” foi desenvolvida por Márcia Pantoja Contente, até então mestranda do Programa de Pós-graduação em Docência em Educação em Ciências e Matemática (PPGDOC), foi orientada pela Profª. Dra. Wanderleia Azevedo Medeiros Leitão.

Resumo A inclusão de estudantes surdos em escolas regulares é um tema de suma relevância, merecendo discussão, reflexão e ação. Compreendo que pela sua complexidade essa temática deve ser enfrentada por toda comunidade escolar. Esse enfretamento, no entanto pressupõe reflexões, buscas constantes e coletivas, visando soluções que respondam a cada situação vivenciada em ambientes escolares diversos. Diante desse contexto, o estudo em questão se propõe a analisar as concepções dos participantes surdos envolvidos na investigação sobre a temática angiospermas e com base no resultado obtido, construir uma mídia pedagógica bilíngue (Libras e Língua Portuguesa) capaz de contribuir com a aquisição de conhecimentos referentes a essa temática e assim favorecer o processo de ensino e aprendizagem e inclusão de estudantes surdos. A pesquisa-ação foi a opção metodológica escolhida nesta pesquisa, pois permite aos participantes envolverem-se ativamente na busca de soluções para um problema, social e educacional. A pesquisa foi desenvolvida com cinco participantes, sendo três surdos, uma interprete em Libras e a professora/pesquisadora. Foi realizada em uma escola pública, por meio de dez atividades. Os dados produzidos a partir das atividades desenvolvidas, foram sistematizados e agrupados em duas categorias: produção da mídia a partir da (re)construção do conhecimento e a importância atribuída pelos participantes surdos ao uso de sinais como elementos imprescindíveis da aprendizagem. As categorias emergiram da interpretação das falas dos participantes, sendo estas analisadas a luz da análise do conteúdo de Bardin (2011). Os resultados apontaram que as atividades desenvolvidas indicam contribuições significativas relacionadas ao processo de ensino e aprendizagem dos estudantes surdos. A experiência vivenciada possibilitou aos participantes um novo entendimento, atribuindo significados ao conteúdo estudado, passando a relacioná-lo com a sua vivência. Outro fator relevante nessa pesquisa diz respeito ao processo de negociação de sinais que pedagogicamente, considero que o uso de sinais negociados, construídos coletivamente e compartilhados, são importantes no processo de ensino e de aprendizagem de estudantes surdos e portanto deve ser valorizado no ambiente educacional. Assim, o ensino de conteúdos curriculares nas escolas regulares, para os estudantes surdos, devem ser ministrados em língua de sinais, no caso dos surdos brasileiros, em Libras, como pressuposto fundamental para alcançarem a aprendizagem. Percebo que o mais importante nessa relação, não se refere somente ao fato da construção de recursos pedagógicos para facilitar o ensino de um determinado conteúdo que apresenta complexidade de compreensão dos surdos. O fator mais relevante e significativo foi o envolvimento dos participantes da pesquisa no processo de construção desse recurso, caracterizado como uma mídia pedagógica em formato de DVD, construída a partir das concepções dos participantes surdos sobre as plantas angiospermas.

Palavras-chave: Ensino de Ciências. Angiospermas. Estudantes surdos. Mídia pedagógica.

Universidade Federal do Pará Instituto de Educação Matemática e Científica Programa de Pós-Graduação em Docência em Educação em Ciências e Matemática

Pesquisa: Dissertação de Mestrado

Título: Ensino de ciências por meio de mídia pedagógica: o vivido e o concebido por estudantes surdos durante as aulas sobre as angiospermas.

Autor: Márcia Pantoja Contente

Orientadora: Prof.ª Dra. Wanderleia Azevedo Medeiros Leitão.

Ano: 2017

Anúncios