IX SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL: POR UMA SOCIEDADE INCLUSIVA

XIII FÓRUM DE PESQUISA E EXTENSÃO DA EA-UFPA
IX SEMINÁRIO DE ED. ESPECIAL: POR UMA SOCIEDADE INCLUSIVA
I COLÓQUIO EDUCAÇÃO ÉTNICO RACIAL NA ESCOLA DE APLICAÇÃO

Edital completo

Anúncios

Pesquisa em Educação em Ciências e Educação de Surdos

No dia 27 de setembro 2017, aconteceu mais uma defesa de mestrado do Grupo Ruaké (Grupo de Pesquisa em Educação em Ciências, Matemáticas e Inclusão) do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI) da Universidade Federal do Pará (UFPA). A pesquisa “Ensino de ciências por meio de mídia pedagógica: o vivido e o concebido por estudantes surdos durante as aulas sobre as angiospermas” foi desenvolvida por Márcia Pantoja Contente, até então mestranda do Programa de Pós-graduação em Docência em Educação em Ciências e Matemática (PPGDOC), foi orientada pela Profª. Dra. Wanderleia Azevedo Medeiros Leitão.

Resumo A inclusão de estudantes surdos em escolas regulares é um tema de suma relevância, merecendo discussão, reflexão e ação. Compreendo que pela sua complexidade essa temática deve ser enfrentada por toda comunidade escolar. Esse enfretamento, no entanto pressupõe reflexões, buscas constantes e coletivas, visando soluções que respondam a cada situação vivenciada em ambientes escolares diversos. Diante desse contexto, o estudo em questão se propõe a analisar as concepções dos participantes surdos envolvidos na investigação sobre a temática angiospermas e com base no resultado obtido, construir uma mídia pedagógica bilíngue (Libras e Língua Portuguesa) capaz de contribuir com a aquisição de conhecimentos referentes a essa temática e assim favorecer o processo de ensino e aprendizagem e inclusão de estudantes surdos. A pesquisa-ação foi a opção metodológica escolhida nesta pesquisa, pois permite aos participantes envolverem-se ativamente na busca de soluções para um problema, social e educacional. A pesquisa foi desenvolvida com cinco participantes, sendo três surdos, uma interprete em Libras e a professora/pesquisadora. Foi realizada em uma escola pública, por meio de dez atividades. Os dados produzidos a partir das atividades desenvolvidas, foram sistematizados e agrupados em duas categorias: produção da mídia a partir da (re)construção do conhecimento e a importância atribuída pelos participantes surdos ao uso de sinais como elementos imprescindíveis da aprendizagem. As categorias emergiram da interpretação das falas dos participantes, sendo estas analisadas a luz da análise do conteúdo de Bardin (2011). Os resultados apontaram que as atividades desenvolvidas indicam contribuições significativas relacionadas ao processo de ensino e aprendizagem dos estudantes surdos. A experiência vivenciada possibilitou aos participantes um novo entendimento, atribuindo significados ao conteúdo estudado, passando a relacioná-lo com a sua vivência. Outro fator relevante nessa pesquisa diz respeito ao processo de negociação de sinais que pedagogicamente, considero que o uso de sinais negociados, construídos coletivamente e compartilhados, são importantes no processo de ensino e de aprendizagem de estudantes surdos e portanto deve ser valorizado no ambiente educacional. Assim, o ensino de conteúdos curriculares nas escolas regulares, para os estudantes surdos, devem ser ministrados em língua de sinais, no caso dos surdos brasileiros, em Libras, como pressuposto fundamental para alcançarem a aprendizagem. Percebo que o mais importante nessa relação, não se refere somente ao fato da construção de recursos pedagógicos para facilitar o ensino de um determinado conteúdo que apresenta complexidade de compreensão dos surdos. O fator mais relevante e significativo foi o envolvimento dos participantes da pesquisa no processo de construção desse recurso, caracterizado como uma mídia pedagógica em formato de DVD, construída a partir das concepções dos participantes surdos sobre as plantas angiospermas.

Palavras-chave: Ensino de Ciências. Angiospermas. Estudantes surdos. Mídia pedagógica.

Universidade Federal do Pará Instituto de Educação Matemática e Científica Programa de Pós-Graduação em Docência em Educação em Ciências e Matemática

Pesquisa: Dissertação de Mestrado

Título: Ensino de ciências por meio de mídia pedagógica: o vivido e o concebido por estudantes surdos durante as aulas sobre as angiospermas.

Autor: Márcia Pantoja Contente

Orientadora: Prof.ª Dra. Wanderleia Azevedo Medeiros Leitão.

Ano: 2017

I SENNEM

A Formação Docente tem provocado estudos e pesquisas na perspectiva de compreender as concepções e práticas de professores em exercício na Educação Básica e Superior e em processos de formação inicial e continuada, considerando que esse processo ocorre da interação do indivíduo com o meio.

Nesse sentido, a proposta do I Seminário Nacional de Neurociência e Educação Matemática, foi pensado em meio às inquietações de professores formadores e estudantes do Instituto de Educação Matemática e Científica – IEMCI da Universidade Federal do Pará, dos cursos de Graduação e Pós-Graduação, das experiências e das práticas que direcionam para a importância do desenvolvimento de ações interdisciplinares que possibilitam reflexões acerca dos processos de desenvolvimento das habilidades cognitivas em processo de formação inicial e continuada de professores para a Educação Básica e Superior, na perspectiva de trazer contribuições para a formação profissional de todos os envolvidos nesta proposta.

Público esperado: professores da Educação Básica e do Ensino Superior; pesquisadores e interessados sobre o tema neurociências e educação matemática; estudantes de Licenciaturas; Estudantes de Pós-Graduação e demais profissionais da educação com interesse no tema em questão.

Período: 29 a 31 de março de 2017.

Local: Auditório do Instituto de Educação Matemática e Científica – IEMCI (Próximo ao 1º portão).

Atividades oferecidas: Mesa redonda, palestra, conferência e minicursos.

Clique aqui para mais informações

Pesquisa em Educação Matemática e Educação Hospitalar

No dia 30 de novembro 2016, aconteceu mais uma defesa de mestrado do Grupo Ruaké (Grupo de Pesquisa em Educação em Ciências, Matemáticas e Inclusão) do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI) da Universidade Federal do Pará (UFPA). A pesquisa “Educação matemática em uma classe hospitalar: relações, enredamentos e continuidades” foi desenvolvida por Eunice Maria Figueira Cajango até então mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM), foi orientada pelo Prof. Dr. Elielson Ribeiro de Sales, pesquisador do Grupo Ruaké, e representa um marco, pois pela primeira vez um Grupo de Pesquisa do IEMCI, apresenta os resultados de suas interações acadêmicas e científicas em classes hospitalares.

RESUMO
O eixo central da pesquisa surgiu da proposta de dirigir o olhar ao cenário que compõe o contexto da educação em ambientes hospitalares, para investigar se ações relacionadas à educação matemática em classes hospitalares podem ou não contribuir para o bem-estar dos educandos, bem como favorecer a continuidade de estudos após ou mesmo durante o tratamento médico. A pesquisa tem como referencial teórico a cognição embodied, a partir da perspectiva de Luis Radford. A metodologia adotada é de abordagem qualitativa, e os dados foram obtidos por meio de entrevistas e atividades de educação matemática realizadas em um espaço anexo à Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, destinado ao acolhimento de pessoas em tratamento de saúde em Belém/PA, com nove educandos, na faixa etária de onze a cinquenta e sete anos, com níveis de escolaridade compreendidos entre o Ensino Fundamental e o Ensino Médio. O registro dos dados se deu a partir de anotações em caderno de campo, áudios e filmagens das atividades desenvolvidas. Houve também entrevistas com pais, alunos e professoras, no intuito de coletar informações sobre um pouco do percurso de cada aluno observado. A discussão dos dados é estruturada de modo a atender a dois aspectos: a importância das relações dialógicas configuradas no ambiente da classe para o bem-estar e o envolvimento dos participantes ao longo do processo educacional e a constituição embodied de conhecimentos apresentada pelos educandos em relação aos temas propostos. A apresentação dos resultados está distribuída em dois temas: composições referentes à geometria básica e significações acerca de medidas-padrão para comprimento e distância. As considerações finais afirmam a importância do acompanhamento docente em matemática a educandos em tratamento de saúde, de modo a concorrer para a garantia de continuidade no seu processo educativo. Compreendemos ainda que foram evidenciados indícios acerca da relevância de atividades que assumam aspectos embodied na constituição de conhecimentos matemáticos. Destacamos a necessidade de fortalecimento da parceria entre universidade e ambiente educacional hospitalar, com vistas à produção de novas pesquisas que contribuam para ampliar e fortalecer o debate acerca de políticas públicas para educandos nessa situação. Por fim, sugerimos a proposição e o desenvolvimento de investigações acerca dos processos educacionais nas unidades escolares que recebem educandos durante ou após o tratamento de saúde, com vistas a amparar reflexões na perspectiva inclusiva de acesso democrático e universalizado ao sistema educacional.

Palavras-chave: Embodied Cognition em Educação Matemática. Educação Matemática e Classe Hospitalar. Ensino e Aprendizagem de Matemática. Educação Matemática e Inclusão.

Universidade Federal do Pará
Instituto de Educação Matemática e Científica
Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas
Pesquisa: Dissertação de Mestrado
Título: Educação matemática em uma classe hospitalar: relações, enredamentos e continuidades
Autor: Eunice Maria Figueira Cajango
Orientador: Prof. Dr. Elielson Ribeiro de Sales.
Ano: 2016

Pesquisa em Educação Matemática e Educação de Cegos

No dia 2 de setembro de 2016, aconteceu a primeira defesa de doutorado no Grupo Ruaké. A tese “O Ensino de Números  Decimais  em uma Classe Inclusiva  do Ensino Fundamental: uma proposta de metodologias  visando à inclusão”, desenvolvida por Marcelo Marques de Araújo, até então doutorando PPGECEM/REAMEC/UFMT/UFPA, foi orientado pelo Prof. Dr. Elielson Ribeiro de Sales, pesquisador do Grupo Ruaké, e representa um marco no Instituto, pois é a primeira pesquisa de doutorado concluída, no Grupo, com discussões relacionadas à Educação Matemática e Educação de Cegos.

RESUMO
O presente estudo teve como objetivo investigar quais as contribuições de metodologias de ensino e aprendizagem das operações aditivas com números decimais voltadas a educação de alunos de uma classe inclusiva no terceiro ciclo do Ensino Fundamental. A pesquisa foi desenvolvida com 10 participantes, sendo dois docentes, um professor de matemática da turma investigada e outro que atendia na sala de recursos, e oito discentes participantes de uma turma inclusiva do município de Belém (PA), sendo um deles era deficiente visual. A pesquisa se efetivou em seis meses e constou de um período de observação das aulas de matemática e demais disciplinas da classe investigada com uma duração de dois meses, além de ter contado com a aplicação de uma entrevista semiestruturada com os dois docentes e a discente com deficiência visual da turma investigada, aplicação de questões de sondagem e aplicação de questões de verificação da acomodação do conteúdo trabalhado após o período de uso das metodologias empregadas com os discentes participantes da investigação. A pesquisa teve a abordagem qualitativa e utilizou como metodologia a pesquisa-ação, tendo a aplicação de duas metodologias de intervenção: o uso do software MusiCALcolorida e o uso do Tabuleiro de Decimais, a fim de entendermos quais os aspectos propositivos destas duas ferramentas ao processo de ensino e aprendizagem dos números decimais aditivos direcionados aos discentes com deficiência visual e sem deficiência. Os resultados obtidos pela pesquisa demonstraram que o uso do software MusiCALcolorida e do Tabuleiro de Decimais foram propositivos não só para o aprendizado e compreensão dos números decimais em operações aditivas com o discente com deficiência visual, bem como para os demais alunos participantes sem deficiência visual. Assim, a análise dos dados demonstrou que houve relevante aumento da compreensão nas operações aditivas com os números decimais em media de 60% pelos discentes no aproveitamento da compreensão e operação do referido assunto matemático, além de representar um fortalecimento da interação e socialização entre os discentes como uma ferramenta para diminuir o processo de segregação e incidir na conquista de caminhos voltados à inclusão dos discentes com a questão da valorização e enriquecimento da percepção do aluno com necessidades educativas especiais junto à turma pesquisada.

Palavras-chave: Números Decimais. Calculadora Musical. Tabuleiro de Decimais. Deficiência Visual. Inclusão.

Universidade Federal do Mato Grosso / Universidade Federal do Pará
Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática
Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática – REAMEC
Pesquisa: Tese de Doutorado
Título: O Ensino de Números  Decimais  em uma Classe Inclusiva  do Ensino Fundamental: uma proposta de metodologias  visando à inclusão
Autor: Marcelo Marques de Araújo
Orientador: Prof. Dr. Elielson Ribeiro de Sales
Ano: 2016